top of page

(2ªParte)BREVE HISTÓRICO DAS IDEIAS DE LOGÍSTICA REVERSA DE PÓS CONSUMO- ECONOMIA CIRCULAR E ESG

Logística Reversa de pós consumo



A globalização do após II Guerra expande a produção para todos os países e cria esse ambiente de aumento exponencial de produtos e de modelos, redundando em aumento correspondente de produtos indo para o mercado. Origina-se, desta forma, a necessidade de equacionar o retorno de produtos não consumidos e os já consumidos descartados pela sociedade.

Quase que simultaneamente em diversos países, visando dar destino a estes produtos nas últimas décadas do século XX, surgem as ideias e operações de Logística Reversa. Aqui no Brasil são batizadas como Logística Reversa de “Pós-Venda” e de “Pós-consumo” por este autor, distinguindo o retorno de produtos ainda não consumidos e já consumidos nos livros editados em 2003,2009 e 2017.

Na definição autoral: “Logística Reversa é a área da Logística empresarial que planeja, opera e controla o fluxo e as informações logísticas correspondentes, do retorno dos bens de pós-venda e de pós-consumo ao ciclo de negócios ou ao ciclo produtivo, por meio dos canais de distribuição reversos, agregando-lhes valor de diversas naturezas: econômico, ecológico, legal, logística, de imagem corporativa, entre outros” (Leite 2003).atamentos de reaproveitamento e Redistribuição dos produtos ou materiais reaproveitados a novos mercados. É estratégica

Especificamente, a Logística Reversa de pós-consumo é, portanto, uma atividade que desenvolve as operações de Coleta dos resíduos, Transporte, Armazenamento ou Consolidação, Seleção do Destino dos coletados, Encaminhamento aos tr para as empresas na medida em que garante àqueles produtos e materiais os valores mencionados na definição. Em particular, realizando economias importantes quando estes retornos são reintegrados nos ciclos industriais, além de reduzir a poluição contaminante ou de excesso, ambas danosas para a sociedade.

Por estas atividades percebe-se que a Logística Reversa de pós-consumo se antecipa às ideias da Economia Circular, pois além das operações logísticas tradicionais, incentiva as atividades de reaproveitamento dos produtos e materiais descartados pela sociedade. Portanto a Economia Circular, como ideia, surge mais tarde complementando e acrescentando ideias próprias visando a sustentabilidade ambiental.



 Economia Circular


Embora algumas de suas ideias apareceram ainda no século XX, a Economia Circular se torna visível em estudos e na mídia a partir da criação do Instituto Ellen MacArthur em 2010.

Relembre-se que, seguindo o exemplo de países desenvolvidos, o Brasil edita nesse ano de 2010 a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). Legislação que define as responsabilidades dos agentes das cadeias produtivas e de distribuição perante os seus produtos após serem descartados. Define, outrossim, entre outros aspectos, a responsabilidade compartilhada dos agentes das cadeias de suprimentos para a criação da Logística reversa de pós-consumo, visando minimizar as quantidades de descartados indo para o meio ambiente.

A Economia Circular busca transformar a Economia Linear (extrair- fabricar-descartar), utilizada há mais de dois séculos, em um sistema que aplica os recursos para eliminar os resíduos de todas as naturezas, evitando descarte e formação de lixo. Suas ideias transcendem à simples ideia de reciclagem e introduzindo objetivos de transformação na forma de extrair materiais, de produzir, de distribuir, de vender, uso dos produtos .entre outros aspectos.

Estas transformações impõem grandes alterações em uma visão estratégica, cultural e operacional, que, como já mencionado, exigirá enormes mudanças.

Observe-se que a Economia Circular preconiza mudanças através de ideias mais gerais que podemos chamar de disruptivas, a serem desenvolvidas em cada caso. Não existe fórmula geral, mas premissas que poderão ser úteis às empresas e principalmente ao meio ambiente.

Por outro lado, é importante lembrar que estas mudanças se darão ao longo do tempo, à medida que maior conscientização avançar e que mitigações dos efeitos nefastos da Economia Linear surgirem.

Muitos profetas do caos já foram desmentidos pelo aparecimento de materiais e processos revolucionários que mitigaram efeitos de destruição da natureza ao longo da história. Será que muitos dos inconvenientes atuais poderão ser resolvidos no futuro por inovações e novas tecnologias?? 




(próximo post: 3ª parte última parte ESG)


Comentarios


bottom of page